Secretaria de Educação e CIASC realizam 2ª fase de integração para sistema de ensino não presencial

Integração entre SISGESC e plataforma do Google é usada para atividades da rede estadual durante a pandemia


A tecnologia que está sendo usada para que os alunos das escolas da rede estadual realizem atividades não presenciais passou por uma nova fase de integração. Agora todo o processo de incluir, excluir e transferir os alunos, os professores e as turmas, feito no Sistema de Gestão Escolar da Secretaria de Educação, o Sisgesc, é replicado no Classroom, a plataforma da Google onde os estudantes e professores acessam as atividades. 

Para que isso aconteça, a equipe do CIASC adaptou o Sisgesc para que ele possa acionar as APIs do Google. As APIs são interfaces criadas para permitir que um programa de computador se comunique com outros, e são muito comuns em programas que funcionam baseados na internet, como os serviços da Google. Com a integração intermediada por essas APIs, todas as criações ou movimentações de novas turmas, ou novos usuários (professores ou alunos) feitas no Sisgesc também acontecem no Google Classroom. 

Isso serve para atender uma série de necessidades que surgem no cotidiano do sistema educacional, garantindo, por exemplo, que os alunos que estão sendo transferidos agora para uma escola da rede estadual não percam conteúdos, um problema que poderia acontecer caso não houvesse a integração automatizada, já que o ingresso desses novos alunos levaria tempo. Uma área especialmente afetada por essa questão são as turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA), pois diferente das turmas do ensino básico regular, que são anuais, as turmas de EJA são iniciadas bimestralmente, o que significa que a cada 2 meses é preciso criar cerca de 2 mil novas turmas, que envolvem em média 30 mil alunos e 2,5 mil professores. 

Uso do Classroom

A Plataforma Google Classroom está sendo utilizada pela rede de ensino estadual desde abril para a realização de atividades educacionais não presenciais. A ferramenta da Google é considerada um “sistema de gerenciamento de conteúdo” que oferece recursos para que os professores criem, distribuam e analisem os trabalhos dos alunos, tudo dentro da plataforma. Considerando também as atividades impressas, entregues aos alunos com acesso restrito ou sem acesso à internet, as ações não presenciais atendem 97% dos alunos da rede estadual.

Desde o início do isolamento social essa plataforma da Google está sendo usada em conjunto com o Sisgesc, o Sistema de Gestão Educacional de Santa Catarina, que é administrado pela Secretaria de Estado da Educação (SED). É no Sisgesc que estão armazenados todos os dados da rede estadual de educação, como quais são as escolas, os alunos e profissionais que trabalham nelas, o histórico de notas dos estudantes, etc. Por conta disso é que Sisgesc e Classroom precisam estar integrados, pois é através da “conversa” entre as duas tecnologias, que elas podem “entender” que o usuário que está fazendo uma atividade no Classroom é o mesmo que está registrado no Sisgesc.

3ª fase à caminho

A 3ª fase da integração dos sistemas da SED com o Google Classroom também já está prevista. Dessa vez a integração será com o Professor Online, outra ferramenta da secretaria, e vai permitir que as avaliações feitas pelos professores no Classroom sejam incluídas no diário de classe virtual.