Plataforma Digital de inteligência de Dados do CIASC fornece informações em tempo real para o Governo do Estado

Plataforma BoaVista auxilia o governo do estado na tomada de decisões estratégicas no enfrentamento à Covid-19. – Foto: Mauricio Vieira / Secom

Um recurso desenvolvido pela empresa estatal de tecnologia catarinense está sendo utilizado como ferramenta no combate à crise do novo Coronavírus. A Plataforma BoaVista, que vem sendo melhorada desde 2016 pelo Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC) é uma infraestrutura de Big Data que permite que os profissionais cruzem dados de diferentes fontes, com o objetivo de transformá-los em informações relevantes para a tomada de decisão do governo.

Uma das funções da plataforma é auxiliar no trabalho de monitoramento dos números relativos à pandemia através da mineração e cruzamento de dados que possam ser úteis à equipe intersetorial do governo que recebe esses dados na sala de situação do governo para combate ao Covid-19.

O CIASC através de um esforço multidisciplinar entre as áreas de redes de comunicação, data center, desenvolvimento de software e de inteligência de dados disponibiliza uma infraestrutura de alta performance e consolida, em um único portal, diversos painéis estratégicos com dados provenientes dos sistemas das áreas temáticas do governo e outras fontes de dados, exibindo gráficos em tempo real com os números atualizados da pandemia.

Analistas do CIASC, especializados em tecnologias de Big Data e governança de dados, prestam consultoria e participam da força tarefa do Governo que reúne profissionais de diversos órgãos públicos e empresas privadas, unindo o conhecimento de diversos especialistas em Data Analytics e cientistas de dados para ajudar o governo estadual e facilitar a comunicação para a população.

A plataforma agora conta com dados integrados do SAMU e também no LACEN – Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina, além de informações fornecidas pela Secretaria da Saúde. Dados de laboratórios particulares também estão sendo integrados no BoaVista. A partir de dados que estavam dispersos nos sistemas da Secretaria da Saúde, foi possível usar a plataforma para visualizar e monitorar a situação dos leitos de UTI no estado. A integração com o LACEN permite que o governo saiba de imediato a quantidade de casos suspeitos e confirmados. Além disso também é possível ver a distribuição dos casos geograficamente e por faixa etária.

Esse trabalho de uso dos dados para enfrentamento da pandemia está sendo desenvolvido por um núcleo intersetorial de inteligência de dados, liderado pelo secretário de estado da administração, Jorge Eduardo Tasca, que afirmou que “Buscamos que todas as decisões sejam balizadas por informações e conhecimento. Dessa maneira, elas gerarão resultados”.

O termo em inglês Big Data, usado para descrever tecnologias como a Plataforma BoaVista, se refere à área de conhecimento que estuda formas de analisar e obter informações de grandes conjuntos de dados, ou seja, elas permitem, por exemplo, usar dados relativos à toda a população de uma cidade, estado ou país na hora de definir uma ação do poder público.

A utilização da Plataforma BoaVista para inteligência de dados tem sido feita pelo Governo do Estado em parceria com outras instituições, como a Associação Catarinense de Medicina (ACM) e a Social Good Brasil (SGB). O BoaVista provê as informações para que seja possível informar via SMS às vizinhanças onde houve casos confirmados de coronavírus. O CIASC também participa do trabalho de adoção de um modelo epidemiológico que o governo vai usar durante a pandemia. Com a plataforma, também foi possível elaborar boletins mais detalhados do avanço do Coronavírus no estado, e o CIASC vai continuar trabalhando em novas formas de melhorar a ferramenta.