CIASC participa do Seminário de Boas Práticas em Tecnologia da Informação voltadas à Segurança Pública em Brasília

O evento reuniu representantes de secretarias e órgãos estaduais e apresentou projetos de tecnologia e ações inovadoras na área de segurança

O Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc) participou nesta semana do Seminário de Boas Práticas em Tecnologia da Informação voltadas à Segurança Pública. O evento, realizado no Planalto dos Ministérios, em Brasília, nos dias 20 e 21 de agosto, realizado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) por meio da Diretoria de Gestão e Integração das Informações (DGI). O objetivo do seminário é promover a integração e a difusão de projetos de tecnologia e ações inovadoras na área de Dados e Soluções Tecnológicas para segurança pública dos Estados da federação.

Com as presenças do ministro Sérgio Moro e do secretário Nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, foi entregue a primeira etapa da plataforma Big Data e Inteligência Artificial que facilitará a integração e análise de dados na segurança pública nacional. “Precisamos saber mais sobre os crimes, onde, como e quando eles ocorrem para ter uma orientação mais eficaz das ações das forças de segurança pública”, ressaltou Moro.

O Ciasc foi representado por Atanásio Antunes Vieira e Daniel San Martin, gestores de produto do Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP). Além disso, a empresa pública de tecnologia também apresentou durante o seminário o trabalho “Integração de Dados de Segurança Pública: da Engenharia à Ciências de Dados”, baseado no projeto BOs Integrados, desenvolvido pelo Ciasc para a Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina. O projeto possibilitou a integração via sistema dos boletins de ocorrência das polícias civil e militar do Estado e resultou no lançamento do Sistema Integra.

Segundo Daniel San Martin, “A seleção deste trabalho colocou o Ciasc e sua tecnologia em evidência no cenário nacional de segurança pública”. O evento também possibilitou uma visão mais aprofundada dos projetos tecnológicos dos outros Estados do Brasil.