Trabalhadores digitais: o que é a tecnologia RPA e como ela pode contribuir com o uso de robôs

Com a Era da Informação, temos presenciado uma produção enorme de dados, em um ritmo nunca antes visto. Sabemos que, humanamente, sem o apoio das tecnologias, seria impossível coletar e processar tantas informações para transformá-las em conhecimento, processos e ações. Essa realidade tornou necessária a busca por soluções que proporcionam maior eficiência operacional, entre elas, o uso de robôs. Cada vez mais inteligentes e considerados o futuro da automação, os robôs podem seguir processos baseados em regras e conseguem trabalhar 24 horas por dia, sete dias por semana.

Existem atividades profissionais em que a participação humana é imprescindível, mas há inúmeras tarefas que podem ser automatizadas e exercidas de forma conjunta por pessoas e robôs, potencializando as habilidades e competências de cada um. Já ouviu falar em digital worker, ou trabalhador digital? Essa é uma realidade para diversas organizações que contam com as tecnologias no ambiente de trabalho, possibilitando uma convivência, um trabalho coletivo e colaborativo entre equipes de funcionários humanos e máquinas. Nesse contexto, é possível que as pessoas desempenhem funções essenciais, enquanto os robôs executam o trabalho repetitivo, mecânico e enfadonho.

A Automação Robótica de Processos, ou Robotic Process Automation (RPA), pode ser definida como uma tecnologia voltada a automatizar processos de negócios, que utiliza a configuração e a gestão de robôs de software, programados para agir como usuários de aplicações sintéticas e automatizar tarefas digitais operacionais, repetitivas e estruturadas. Esses procedimentos de software podem associar o uso de Inteligência Artificial para tratar com atividades rotineiras que exigem agilidade e precisão, bem como acessar e utilizar qualquer sistema off-line ou on-line que o computador emissário tenha instalado ou que tenha acesso.

Segundo o Gartner Glossary, a RPA é uma ferramenta de produtividade que permite ao usuário configurar um ou mais roteiros (também chamados de “bots”) para realizar procedimentos de maneira automatizada. Os bots podem ser usados ​​para imitar ou reproduzir tarefas selecionadas dentro de um negócio geral ou processo de Tecnologia da Informação (TI). Isso pode incluir a manipulação de dados, a passagem de dados para e de diferentes aplicativos, o disparo de respostas ou a execução de transações. 

Na definição “Robotic Process Automation Software”, explica que as ferramentas de RPA executam declarações “if, then, else” (em tradução: se, então, senão; que se referem a comandos de condição e alternativa) em dados estruturados, normalmente usando uma combinação de interações de interface de usuário ou conectando-se à Interface de Programação de Aplicações (APIs) para conduzir servidores clientes, mainframes ou código HTML. Uma ferramenta RPA opera mapeando um processo para o software “robô” seguir, com tempo de execução previsto para cumprir o roteiro por um painel de controle.

O potencial dessa tecnologia tem se mostrado transformador para o mundo dos negócios, sendo considerado um ponto decisivo para a vantagem competitiva e a continuidade produtiva de empresas de diversos setores. De maneira semelhante, a popularidade e o uso de RPA estão se expandindo entre os governos de todo o mundo, com iniciativas voltadas à administração e aos serviços públicos, propostas para automatizar os processos, gerando eficiência, agilidade e modernização na entrega de resultados aos cidadãos.

Nesse sentido, o Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC) tem acompanhado o tema, realizado Prova de Conceito (POC), experimentando e buscando desenvolver, ampliar o conhecimento e entender a capacidade de atuação do RPA para qualificar ainda mais os serviços prestados.

 

Conheça algumas áreas que utilizam RPA e os benefícios da tecnologia

O desenvolvimento de robôs com RPA auxilia em soluções para inúmeros problemas de empresas públicas e privadas. A partir de abordagens diversificadas, a tecnologia garante diferentes benefícios, como melhor precisão nos processos, redução de erros e riscos, economia de custos, rapidez, produtividade, integração entre áreas dos negócios, segurança de dados confidenciais, entre outros. 

Uma das tendências estratégicas da transformação digital é o uso da Hiperautomação, que alcança resultados mais rápidos e eficientes, e a adesão de robôs com tecnologia RPA em segmentos como saúde, indústria, educação, telecomunicações, transporte e logística, setores fiscais, tributários e de finanças, etc.

Conforme o documento “Robotic Process Automation in Action in Government”, dos analistas Dean Lacheca e Cathy Tornbohm, publicado pelo Gartner no último dia 6 de outubro, o RPA está sendo utilizado pelos governos, por exemplo, para automatizar atividades manuais de trabalho, remover erros de digitação e reduzir o tempo de processamento. Além disso, a substituição da mão de obra humana por tecnologias de RPA, na execução de tarefas rotineiras e repetitivas, permite que as pessoas se dediquem mais a atividades estratégicas, colocando seu capital intelectual em projetos e ações que retornem valor para as instituições e resultem em qualidade no atendimento e nos serviços à população – questões fundamentais, especialmente, quando pensamos nos propósitos do setor público. 

 

Referências:

Gartner Glossary: 

Robotic Process Automation (RPA)

Robotic Process Automation Software

Robotic Process Automation in Action in Government. Analistas Dean Lacheca e Cathy Tornbohm. Publicado pelo Gartner, em 6/10/2021. (acesso restrito)

 

Elida Marlene Alvarez Medina – Estagiária na Assessoria de Tecnologia e Inovação, do Programa de Inovação em Smart City.

Tabita Strassburger – Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), no Programa de Pesquisa e Implantação de Sistema de Inovação do CIASC.