O Junior Enterprise World Conference (JEWC), ou Conferência Mundial de Empresas Juniores, é o encontro realizado bienalmente para integrar e desenvolver o Movimento Empresa Júnior, alternando sua sede entre Europa e Brasil. O evento começou nesta quarta-feira, 21, e vai até sábado, 23, no Centro de Convenções Luiz Henrique da Silveira, em Canasvieiras, em Florianópolis. 
Na abertura, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Carlos Chiodini, elogiou a iniciativa da Federação das Empresas Juniores de Santa Catarina (Fejesc), organizadora do encontro. “O JECW engrandece nosso Estado, reunindo jovens de todo Brasil e de outros países para difundir a importância do empreendedorismo, da inovação e, sobretudo, da colaboração”, disse.
 
Para o presidente da Fejesc, Yuri Kuzniecow, o encontro é uma oportunidade ímpar para os mais de três mil jovens de 17 países. Com a temática “Lead the co-era” (liderança na era da co-criação e colaboração), a conferência conta com palestras, treinamento e vivências práticas. “De início seria apenas um evento, mas o JEWC se tornou o maior sonho da nossa história. Estamos representando a voz de toda uma geração, inconformada com sua realidade, que tem a coragem de sonhar e a ousadia de agir”, proferiu. A infraestrutura para internet do JEWC está sendo fornecida pelo Centro de Informática e Automação de Santa Catarina (Ciasc).    
 
A primeira palestra foi com consultora norte-americana de liderança de desenvolvimento de equipe, Michele Hunt, que falou ressaltou a necessidade de conservar os valores em prol de um mundo mais justo e humano. “Nós precisamos construir uma nova história, onde o dinheiro não seja a definição de sucesso, onde exista tolerância e princípios éticos, onde pessoas e negócios possam prosperar e o planeta possa florescer”, salientou.
 
Para esta sexta-feira, 22, o destaque será o “Hackday - Da ideia à produção em três horas”, além da palestra com Ketan Makwana sobre o poder das ideias. No sábado, serão abordados temas como realidade virtual, transformação da sociedade nos campos político, social e educacional, empreendedorismo nas universidades, os segredos da co-criação, entre outros. O encerramento será às 19h45.

Nesta terça-feira, 5, será realizado o 2º Agile Experience, às 14h no auditório do Centro de Informática e Automação de Santa Catarina (Ciasc). “A ideia é apresentar aplicações da Metodologia Ágil tanto do ponto de vista do Ciasc, como de clientes e até mesmo, do público externo”, conta o presidente da instituição, Luiz Antônio Costa Silva.

Criado em 2001 nos Estados Unidos, o Manifesto para o Desenvolvimento Ágil de Software, chamado apenas de Manifesto Ágil, busca implementar ações que garantam celeridade e satisfação do cliente no desempenho de projetos.

A primeira apresentação será da empresa Softplan, que abordará as mudanças a partir da introdução desta nova metodologia de trabalho. Em seguida, será realizada a explanação da Secretaria de Segurança Pública e, por fim, a experiência do Ciasc. “Estamos usando o método há um ano, para priorizar a entrega contínua e adiantada de software funcionando, em menor tempo”, diz Silva.

Um modo diferente, mais eficaz, rápido e conclusivo de executar e entregar um trabalho para o cliente. Esta é a metodologia Ágil, aplicada no Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc) há um ano. "É um processo demorado, que exige a quebra de paradigmas. Mas, aos poucos, estamos mudando este conceito dentro da entidade e essas pequenas mudanças já começam a dar frutos. Acreditamos que em menos de uma década será um conceito consolidado e quem ganha com isso são os órgãos do Estado e a população", afirma o presidente do Ciasc, Luiz Antônio Costa Silva.

O Manifesto para o Desenvolvimento Ágil de Software, chamado apenas de Manifesto Ágil, foi criado nos Estados Unidos em 2001 por um grupo de profissionais veteranos na área de software, que trabalharam para melhorar o desempenho de seus projetos. Entre seus princípios, destacam-se a satisfação do cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado; entrega de valor para o cliente em curto espaço de tempo; processos que promovam o desenvolvimento sustentável; bem como a integração entre equipe e cliente.

O Ciasc vem usando o método para priorizar a entrega contínua e adiantada de software funcionando, em menor tempo. “Todos trabalhando diariamente em conjunto por todo o projeto”, afirma Guilherme Serafim Pinter, Gerente de Produtos e Serviços do Ciasc. Segundo ele, esses processos ágeis promovem o desenvolvimento sustentável e continua atenção a excelência técnica. O Ciasc é um órgão vinculado a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS).