Iniciada nova etapa de trabalhos no Observatório da Despesa Pública

O Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc), juntamente com representantes do Observatório da Despesa Pública de Santa Catarina (ODP.SC), na última sexta-feira, 31 de maio, participou da apresentação da nova versão dos layouts e procedimentos para realização da carga de bases de dados para todos os entes da Rede ODP.

A Rede de Observatórios de Despesa Pública (Rede ODP) é uma iniciativa criada pelo Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU) para difundir, para outros órgãos de controle estatal, a metodologia de criação de trilhas de auditoria e informações estratégicas adotada pelo ODP.

O objetivo da Rede ODP, além da disseminação de boas práticas na área de análise de dados aplicada a temas governamentais, é a criação de uma rede de colaboração entre os entes, que permita o desenvolvimento de trabalhos em conjunto para a detecção de indícios de fraudes e aprimoramento da gestão.

Por meio de videoconferência os órgãos debateram e sugeriram melhorias para a validação do layout. Segundo Leandro Fornasier, gerente de inovação governamental e serviços corporativos, “a partir da proposta inicial da CGU, podemos discutir e apresentar nossas sugestões de alterações no layout dos dados, para que o trabalho atinja os objetivos definidos nesta onda de estudos”

Desde 2012, Santa Catarina participa da Rede ODP – Observatório da Despesa Pública, como projeto-piloto do programa ODP.Estadual. Em 2016 o Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina também ganhou uma extensão do projeto, chamado de ODP.TC, que se estendeu aos demais tribunais na efetivação da metodologia ODP.

Foram elencados 5 eixos estratégicos para o programa, que são: 1- Ampliação de rede, 2- Tecnologia, 3-Pessoas , 4- Produtos e Serviços e 5- Fortalecimento da Rede. Dentro desses eixos o Ciasc desenvolve por meio do projeto ODP.SantaCatarina o Portal da Rede ODP, que usa como base tecnológica uma extensão da Plataforma BoaVista, que é um ambiente Big Data direcionado para processamento grande bases de dados, e que possibilita a colaboração, compartilhamento rápido de dados, scripts (roteiros) e estudos entre os envolvidos.

Nesta onda de estudos, o tema determinado pela rede é Estudo de Despesas Previdenciárias. Sobre a próxima etapa de desenvolvimento Fornasier ressalta que “vencida esta etapa de planejamento e alinhamento entre os entes, partimos para o cruzamentos dos dados entre todos os participantes da Rede ODP, apontando indícios de fraudes e criando indicadores que apoiam a gestão.”, finaliza.

Fazem parte da Rede ODP:

A expansão feita pela CGU resultou na adesão ao ODP, até meados de 2018, de 13 Estados, 18 Tribunais de Contas Estaduais e 2 Tribunais de Contas Municipais, além de 32 municípios que aderiram ao projeto por intermédio dos ODP.estaduais, formando a Rede ODP, com 64 entes, além da própria CGU.