CIASC trabalha com a tecnologia de Internet das Coisas (IoT) para coletar dados de estação meteorológica

Os dados coletados serão para apoiar órgãos e secretarias de governo nas tomadas de decisões

Desde a segunda quinzena de fevereiro, o Centro de Informática e Automação de Santa Catarina, em parceria com uma empresa de soluções mecatrônicas, conta com uma infraestrutura de Estação Meteorológica Autônoma instalada na área de domínio do CIASC. A estrutura tem como objetivo consolidar uma prova de conceito na arquitetura, capacidade de armazenamento e processamento da plataforma BoaVista, a infraestrutura de Big Data do CIASC.

Os dados colhidos da estação serão de temperatura, pressão atmosférica, pluviosidade, direção e velocidade do vento, serão transferidos e processados por meio de um gateway de Internet das coisas (IoT – Internet of Things) para disponibilização na plataforma BoaVista.

Os dados da estação poderão apoiar a tomada de decisões dos Órgãos e Secretarias do Governo em que as informações meteorológicas e climáticas sejam relevantes, como apoiar produtores de culturas que dependem do clima para suas produções, alertar órgãos de defesa civil em caso de situações de risco e auxiliar entidades climáticas nas medições de microclima.

Segundo Osmar da Cunha Filho, analista de sistemas responsável pela prova de conceito, o CIASC está homologando os dados na Plataforma de BoaVista. “Além das informações já citadas, nós também estamos trabalhando na medição do nível do córrego que passa ao lado do CIASC, o que não é uma medição feita por todos os tipos de estação”, pontua. 

Após a homologação do CIASC, os dados serão disponibilizados em painéis e poderão ser utilizados para monitoramento em tempo real da situação climática na região e geração de alarmes em situações críticas, inclusive podendo gerar um alerta de futura inundação com as medições vindas do nível do córrego.