Modelo de gestão do Ciasc é apresentado na abertura do 1º Congresso Catarinense de Cidades Digitais

Para falar sobre o novo padrão adotado pelo Centro de Informática e Automação de Santa Catarina (Ciasc) e a conexão entre cidades inteligentes e a internet das coisas, o presidente da empresa, Luiz Antônio da Costa Silva proferiu palestra na manhã desta quinta-feira, 9, na abertura do 1º Congresso Catarinense de Cidades Digitais. O encontro, que está sendo realizado na Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), reúne gestores do todo país para debater sobre o uso de tecnologia para aprimoramento dos serviços públicos.

“Nosso lema é integrar o Governo e conectar as pessoas. Temos quatro verticais de atuação, que incluem as infovias, o data center, a inteligência e o desenvolvimento de software”, explica Silva. Entre os projetos apresentados, ele destacou o aplicativo da Dengue SC, pioneiro no país.

Luiz Antônio abordou, ainda, os seis pilares essenciais de uma Smart City, ou seja, de uma cidade inteligente. Segundo ele, deve-se levar em conta a competitividade na economia, a qualificação dos recursos humanos, a administração pública funcional, a mobilidade, a atratividade de condições naturais e a qualidade de vida. “No Brasil há um sétimo pilar, que é a inclusão social”, revela. Entre os exemplos de cidades inteligentes, foram citadas Barcelona, na Espanha, e Songdo, na Coreia do Sul, e as brasileiras Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

O 1º Congresso Catarinense de Cidades Digitais é uma iniciativa da Rede Cidade Digital e da Prefeitura Municipal de Florianópolis, com apoio do Ciasc. O encontro reúne prefeitos, gestores públicos, vereadores, empresários e especialistas de todo o país para debater e propor melhorias para as cidades por meio da inovação e da tecnologia.