SDS e Fapesc realizam Seminário Catarinense de Núcleos de Inovação Tecnológica

Florianópolis (16/11/2011) – A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS) e Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) promoveram, nesta quarta-feira (16), o Seminário Catarinense de Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs). O evento aconteceu no auditório do Centreventos Renato Archer, da incubadora Celta e reuniu mais de 30 representantes, entre coordenadores e profissionais de instituições de Ensino Superior e de Pesquisa, além de empresas que integram o Pronit, projeto que reúne os núcleos no Estado. O presidente do Centro de Informática e Automação de Santa Catarina, João Rufino de Sales, participou do encontro.

Com o objetivo de promover a integração e compartilhar conhecimento, durante o seminário foi apresentado o plano estratégico para inovação em Santa Catarina, o SC@2022. “Precisamos utilizar os recursos públicos da melhor forma. O SC@2022 é uma tentativa de organizar o setor que já tem competência, mas que perde em dinâmica econômica”, esclarece o secretário da SDS, Paulo Bornhausen.

Dentro do SC@2022 há o programa Inova@SC. Um de seus coordenadores, Luiz Antônio de Oliveira, apresentou as definições, instrumentos e ações. “O Inova@SC é um consórcio de cluster/polos em uma parceria público-privada para execução de programas de pesquisa, desenvolvimento e inovação”, resume. “As metas devem estar alinhadas e, por isso, queremos reforçar os trabalhos realizados pelos núcleos. Este é o maior encontro de NITs de Santa Catarina”, assinala o coordenador de projetos da Fapesc, Randolfo Decker. Para ele, o plano estratégico norteia as ações dos NITs.

Ainda no encontro, o superintendente do Instituto Euvaldo Lodi (IEL/SC), Natalino Uggioni fez uma breve explanação sobre o Pronit. “Seu objetivo é a implantação e estruturação do arranjo catarinense de NITs”, relata. Segundo ele, a meta é implementar o plano de capacitação dos núcleos nos Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) públicos e privados. Uggioni apresentou, ainda, os resultados dos trabalhos, iniciados em maio de 2009.

Apoiado pela Fapesc e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o Pronit teve investimentos, junto com contrapartidas de instituições conveniadas, que somam em torno de R$ 1 milhão e 870 mil. Todos os NITs que participaram do projeto apresentaram suas estruturas e realizações dos últimos anos e ações futuras, visando disseminar a cultura e a implementação do processo de inovação no setor produtivo.